O que não se pode explicar

amor

Vez em sempre eu me pegava tentando nomear o que eu sentia por ele.Eram tantas coisas misturadas e um grande ponto de interrogação.Era diferente de tudo que já havia sentido, ao mesmo tempo era tão perto do que eu rabiscava quando menina, na última folha de um diário , com o título de “homem dos sonhos”.Eu me sentia sem ar e com medo de tudo aquilo me escapar , como água escorrendo pelo ralo da pia.Eu sentia que finalmente a vida me trouxe o que eu já havia desistido de encontrar.E era tão lindo ver o sonho virar realidade bem pertinho de você.

Na minha mente de menina eu achava que o amor seria simples como continha de mais com unidade.Na minha cabeça de mulher eu aprendi que o amor podia chegar fácil entre um olhar e a convivência, mas manter a paz não era tão simples como somar.A maturidade me fez entender que amar muitas das vezes é abrir mão, é dar passos para trás e só depois avançar.Compreendi que amar alguém independe do que o outro me dará em troca.E era lindo quando o mar se acalmava e eu podia sorrir e vê-lo sorrindo de volta.

No fim já não fazia sentido tentar por nome na imensidão do que sentíamos.Não sei do que devo chamar, só sei que cresce e floresce dentro de mim e transborda nele.Não é precisamos tentar explicar o inexplicável.Eu só sei que sinto.O que? Dizem que se chama amor.

História sem fim

“O amor, meu bem , é para os fortes “ Esse era o mantra dela.Essa era sua sina.Ela não tinha medo de demonstrar-se vulnerável, tudo o que a moça queria era mostrar quem era e,  para ele,  ela era um livro aberto.Ele conhecia suas fraquezas, ela tentava descobrir as dele.Qual seria a ferida mais profunda e por que até hoje não cicatrizou ? Ela não queria desistir de curar o moço, por mais que parecesse pretensioso e utópico  – ela acreditava que o amor curava.

Desistir nunca foi para ela.Ela sabia mais do que tudo que , o amor não era fácil.Só não fazia ideia de que nem todos são fortes o suficiente ou estão preparados.Ela estava no caminho, sabia que tinha muito a aprender , mas , queria aprender com ele em sua vida.Ele deus passos para trás, ela paralisou e logo deu passos para frente.Ele tinha dúvidas cruéis, ela tinha certezas insanas.Estavam numa corrida para lados opostos.

Ele ouvia sua voz de longe , ainda assim não conseguia pronunciar nada. O medo o calara. O medo venceu a batalha, mas não a guerra.Ela não quer soltar das mãos dele, não porque não tenha amor próprio , Ela tem e quer dividir-se nele.Não sei o final dessa história sem lógica alguma, ela também não sabe, mas torce para que não tenha fim.

We Can do It !

Não se exponha tanto, não vale a pena. Não pense que quem enxuga suas lágrimas te quer bem, nem sempre é assim. Fique esperta! A vida não é o conto de fadas que te ensinaram a acreditar. Você já descobriu a dureza de ser gente grande, não se engane!

Aqui existem “bruxas” e “bichos-papões” bem piores. E diferente lá do mundo encantado, aqui eles não são feios e nem fazem sons ou dão risadas “sinistras”. Ao contrário, muitos transparecem doçura só para se lambuzar no final. Há tantos lobos, madrastas e  “meio irmãs da Cinderela” por aí. Saiba separar e, acima de tudo, saiba com quem você realmente pode contar.

 Ao longo da vida, já apanhei bastante. Já caí e tive forças para levantar, enquanto meu coração sangrava, eu tinha convicção de que alguém teria que chegar para me ajudar a limpar toda a sujeira. Eu esperava sempre alguém para poder me levantar e perdia tempo caído achando que não era importante, ou que merecia passar por tudo aquilo.

Deixa eu te falar: não espere que te deem

remédios  para curar a dor, estão ocupados demais cuidando das suas próprias dores. Mas há alguém que nunca está ocupado, esse alguém é Deus (ou como queira chamar), chore para ele. Cuide-se! Não espere que te amem mais do que você mesma pode amar.

Gritar para meio mundo não adianta em nada, sei que de alguma forma precisamos extravasar, contudo, aprenda a calar mais. Fique um tempo sozinha, chore em seu quarto, desabafe com alguém de sua confiança. Acredite… Passa! De tanto cair, uma hora você aprende a levantar sorrindo. O joelho pode estar esfolado, ainda assim sua maturidade não te permitirá continuar “choramingando caída ao chão”. Isso não é só coisa de macho não. É coisa de Mulher! Levantar sem fazer cara feia é deixar seu lado menina e mostrar a força que há em você. Saiba também ser a mulher fatal nas horas necessárias.